Sola Scriptura, Sola Gratia, Sola Fide, Solus Christus, Soli Deo Gloria

Thursday, 29 November 2012

Crentes Fora da Igreja?

Algumas décadas atrás, pouquíssimos evangélicos diriam que eram “crentes fora da Igreja”, estando nesta situação. Eles geralmente aceitavam a designação de “desviados” ou, até,  “caídos na fé”. Hoje, entretanto, os que deixaram a Igreja” preferem a designção de “crentes fora da Igreja”; e os censos mostram que o número destes está aumentando significativamente.

Primeiramente, é importante enfatizar que o estar fora da Igreja não significa estar fora da hierarquia eclesiástica do Catolicismo Romano, nem de qualquer outra hierarquia eclesiástica protestante ou evangélica. Estar “fora da Igreja” é estar fora da comunhão com uma igreja ou congregação que, por maior ou menor que seja, está ligada a Jesus Cristo.
Nas principais e mais compreensivas figuras da Igreja que encontramos na Bíblia, a igreja está sempre ligada a Jesus Cristo: como o edifício ao seu fundamento (1 Pedro 2.4-6), os ramos à videira (João 15), o corpo à cabeça (1 Coríntios 12.12-31), e a esposa ao esposo (Efésios 4.23). Portanto, se queremos definir a Igreja de Cristo, devemos identificá-la como o edifício alicerçado em Jesus Cristo somente, os ramos realmente nascidos em Jesus Cristo, os membros do único corpo cuja cabeça é Jesus Cristo, e a fiel noiva ou esposa de Jesus Cristo. Esta Igreja está espalhada na terra, não somente como índivíduos e famílias, mas também em várias ou inumeráveis igrejas ou congregações.

Entretanto, estas várias igrejas, como podemos ver no livro de Apocalipse, podem variar em seu estado de saúde espiritual:

§   Do saudável, embora sob ameaças como Esmirna e Filadélfia (Apocalipse 2.8-11; 3.7-13),

§   Ao razoável ou sob risco de ficar doente como Éfeso, Pérgamo e Tiatira (Apocalipse 2.1-7, 12-17, 18-29), 

§   Até ao doente, sob o risco de morrer como Sardes e Laodicéia (Apocalipse 3.1-6, 14-22).
As igrejas em estado saudável devem zelar para que assim permanecerem, mediante a perseverança na Palavra de Deus, que as afasta e purifica do pecado, o agente da doença espiritual e morte. As igreja e condição meramente razoável devem objetivar o vigor, buscando o sólido alimentando-se da Palavra de Deus, e praticando continuamente o exercício da fé. As igrejas doentes precisam da cura, o reavivamento que vem pela reforma da vida particular, familiar e congregacional dos membros.

Entretanto, sem o devido uso dos meios de graça, cujo principal é a Palavra de Deus, qualquer igreja pode decair do estado saudável para o regular, do regular para o doente, e do doente para a morte, tornando-se até uma falsa igreja (Apocalipse 2.9).

Uma igreja verdadeira e saudável é:

§   Como um edifício, alicerçada no conhecimento de Jesus Cristo, revelado e preservado nas Escrituras Sagradas somente, constituída de pessoas regeneradas em Jesus Cristo, pelo poder do Espírito Santo, mediante a fiel pregação da Palavra de Deus;

§   Como a videira, produz os frutos próprios da sua natureza como ramos de Cristo Jesus – a Videira (frutos que agradam a Deus e aos seus filhos);

§   Como o corpo, governada por Jesus Cristo como o seu Cabeça, mediante o funcionamento de acordo com autoridade das Escrituras e no poder do Espírito Santo que distribuindo dons, estabelece as funções dos membros (do corpo);

§   Como a esposa de Jesus Cristo, ama o seu divino esposo que a redimiu.
Então como podem existir “crentes fora da Igreja”? Verdadeiros crentes não podem ficar fora da Igreja; e isto significa que verdadeiros crentes não podem ficar fora das igrejas ou congregações que constituem a Igreja de Cristo na Terra. Verdadeiros crentes devem estar fora das falsas igrejas, mas dentro de uma verdadeira igreja. Verdadeiros e maduros crentes identificam uma igreja moribunda (perto da morte), sabem quando a igreja precisa voltar a comer o alimento saudável que é a Palavra de Deus, a beber da àgua purificadora e desfrutar da unção do poder do Espírito Santo. Verdadeiros e maduros crentes sabem distinguir entre uma igreja que é como um corpo saudável, da que está doente ou morta (Efésios 4.15-16); eles distinguem a igreja que, sobre a Rocha – Cristo, está sendo edificada com ouro, prata e pedras preciosas daquela que é levantada com madeira, palha e feno (1 Coríntios 3.10-17).
Como os tijolos ou pedras retirados de um edifício já não fazem parte dele; um membro morre, quando cortado do corpo; o ramo seca, se arrancado da planta; e o casamento acaba, se a esposa abandona o esposo; o crente não se desliga, nem é desligado da Igreja, ou de sua congregação.

As palavras ligar e desligar são muito úteis para entender nossa relação com a Igreja de Cristo. Pedro, mediante sua inequívoca confissão de Jesus como “o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mateus 16.16), foi declarado por Jesus uma pedra do edifício da Igreja, cujo alicerce ou fundamento, como já tem sido mencionado, é Jesus Cristo (Mateus 16.16-18; 1 Pedro 2.4-8). Imediatamente a seguir, Jesus afirma que nossa relação com a Igreja na terra reflete nossa relação com a Igreja no céu, isto é, com Deus propriamente (Mateus 16.19-20). O ministério da pregação da Palavra de Deus, confiado à Igreja na terra, é a chave do reino dos céus (reino de Deus). Quando a Igreja prega fielmente a Palavra, e os pecadores arrependidos confessam a Jesus como o Cristo, o Filho Unigênito de Deus, a própria Igreja os recebe na terra; porque eles foram recebidos no céu. Entretanto, quando a Igreja desliga o membro que insiste em rejeitar a Palavra de Deus, ela também está refletindo na terra, o que acontece no céu (Mateus 18.15-20).
A Igreja com suas igrejas ou congregaçãos não é uma instituição humana, mas divina. Desde o princípio, Deus distinguiu a geração de Sete da geração de Caim (Genesis 4.8-26), os filhos de Deus dos filhos dos homens (Genesis 6.1-2). Deus separou e fez aliança com a descendência espiritual de Abraão (Gênesis 17.1-14). Por fim, quando Jesus Cristo veio, e trouxe à plenitude a revelação da Aliança da Redenção, Ele fundou a sua Igreja (Mateus 16.13-19), a Igreja da Nova Aliança, instituiu também a sua Ceia (Mateus 26.26-29) e o seu batismo (Mateus 28.18-20), Ceia e batismo reservados aos membros de sua Igreja, que são chamados de seus discípulos; pois eles aprendem e guardam a sua Palavra, central à vida de sua Igreja.

Quando o apóstolo Paulo, mediante o chamado de Jesus Cristo e poder do Espírito Santo saiu a pregar o Evangelho de Jesus Cristo ao mundo, ele não somente pregava, deixando os crentes dispersos; ao contrário, Paulo fazia deles discípulos de Cristo, organizando-os em igrejas, estabelecendo até presbíteros (Atos 13.12-13, 48-49, 52; 14.1-7, 19-23). Paulo, fiel ao mandato e instituição de Jesus Cristo, também batizava os novos crentes, com suas famílias (Atos 16.14-15, 31-33), administrava e ordenava a Santa Ceia (Atos 20.7; 1 Coríntios 11.20-34).
Os verdadeiros crentes em Cristo Jesus são os seus discípulos; estes assim são chamados porque aprendem e são disciplinados por sua Palavra, devido ao seu ingresso e permanência na Igreja; ingresso marcado pelo recebimento do batismo; permanência indicada pela participação na Santa Ceia.

O verdadeiro crente somente se desliga de uma falsa igreja, mas procura imediatamente a verdadeira Igreja. O verdadeiro crente sofre pela igreja que está doente, ora por ela, e a exorta a voltar a ouvir e se alimentar da Palavra de Deus. O verdadeiro crente ama a sua congregação; ele se alegra com a saúde de sua igreja e consagra sua vida (tempo, dons e recursos) para conservá-la assim (Hebreus 10.23-25). O verdadeiro crente não abandona a sua congregação, exceto se ela definitivamente se apostata ,e se torna uma congregação de Satanás (Apocalipse 2.9).

Existe crente fora de uma verdadeira igreja de Cristo? Se um dedo é cortado do corpo e não for logo implantado, o que acontecerá àquele dedo? Morrerá e terá que ser enterrado ou incinerado. O mesmo acontecerá ao ramo cortado de sua planta.
Crente fora de uma igreja de Cristo? A idéia é pior (mais absurda) que a de um aluno fora da escola. Este se coloca na mesma posição dos domônios, que também são “crentes” (Tiago 2.19), mas não são discípulos de Jesus Cristo. Quem abandona a Igreja de Cristo, ou seja, não é membro de uma verdadeira igreja de Cristo, fala contra Igreja e trabalha contra a Igreja. Dizer-se crente em Cristo e manter-se fora da Igreja é praticar sabotagem contra a Igreja de Cristo.

Crente fora da igreja é como um ramo que está secando, um membro do corpo que está apodrecendo. Apesar desta dura comparação,  o motivo desta mensagem é o amor pela Igreja de Cristo e seus membros cortados; o objetivo desta mensagem é chamar todos os que estão fora da Igreja a voltar imediatamente, congregando-se em uma fiel igreja do Senhor Jesus Cristo.
Quando o Senhor voltar, ou chamar você antes que Ele venha, que justa razão você poderia apresentar-Lhe por abandonar e estar fora da Igreja que Ele tanto ama, pela qual deu o seu próprio sangue, e, ao subir ao céu, lhe deu o seu Espírito Santo, para nela habitar, até que Ele, Jesus, volte?

3 comments:

  1. HOJE existem muitas pessoas pentecostais e neo pentecostais,conhecendo a reforma..Eu digo que Deus as tem tirado de onde estão para traze´las a verdade do evangelho..Eu fui salva a 29 anos atras em uma igreja pentecostal..Mas o Sebnhor me tirou de lá..! Como eu com MUITOS hoje isso acontece...Não é COMUM um aigreja reformada irmão..NÃO MESMO!.Pnetecostais e eno pentecostais tem em cada esquina..Mas uma reformada não! E quem esta nas neo ou pentecas..quer sair LOGO ,não aguenta ficar lá..E não deve mesmo!!!Tem lugares que a spessoas NÃO TEM uma igreja reformada nem PRESBITERIANA ..que é mais comum de se ter nesse Brasil..Oras se apessoa não tem uma igreja que pregue o verdadeiro evangelho a sã doutrina ..
    ELA NÃO TEM SALVAÇÃO????
    Por favor heim? Ela pertence a Igreja invisivel e o nome dela esta escrito no livro d avida..!
    'SE" ela nãotem uma igreja para ir ela tem quee star,no OUTRO EVANGELHO?:Membro de lá..?SÓ para dizer que é MEMBRO?
    Hoje eu sou membro da IPB..mas fiquei 11 anos sem MEMBRAR,
    e o Senhor sempre foi comigo.iluminando-me com Sua Santa Palavra...me guiando,a TODA Vedade sempre..Até me fazer chegar onde estou..Mas,tem pessoas que não terão uma ig. Reformada para estar em comunhão..E ai? Deus SABE de TDS as COISAS amado irmão e é SOBERANO e CUIDA ELE mesmo dos SEUS!

    Não sou CONTRA congregar..NÃO!Claro que não!

    Mas existem casos que a pessoa é impossibilitada sim!!!!!

    Graça e paz

    http://averdadecusteoquecustar.blogspot.com.br/2012/02/hei-voce-pode-me-dizer-onde-e-casa-deus.html

    Ruth Rossini

    ReplyDelete
  2. "Crente fora da igreja é como um ramo que está secando, um membro do corpo que está apodrecendo"

    OPA,ENTÃO ELEIÇÃO TA FORA DAQUI NÉ?

    Esse pessoa PERDERÁ a salvação?

    ESSA pessoa é CORPO de CRISTO TEMPLO Dele..Ele é O CABEÇA dela..

    Olha..bem o que o senhor escreveu....

    NADA nos separa do AMOR de Deus que ESTA em CRISTO JESUS...NADA..NADA NADAÈ NADA!!!!

    Mais uma vez digo

    Não sou contra congregar ..
    Mas salvação PERTENCE a DEUS Jonas 1:9
    E não a IGREJA! Ela é a NOIVA de Cristo...SEM RUGA e SEM MACULA ( a invisivel) verdadeira que não tem JOIO JUNTO..(não salvos)

    A MEMBRESIA E A GLÓRIA DA IGREJA INVISÍVEL

    A igreja invisível, por outro lado, é composta exclusivamente daqueles que, pela graça do Espírito Santo, nasceram de novo. Não é difícil entender o porque este aspecto da igreja deve ser caracterizado como invisível. É impossível para nós afirmar com certeza quem são e quem não são regenerados. Somente o Deus onisciente pode fazer tal distinção. De vez em quando encontramos um pastor que diz poder indicar, sem equívoco, quem são "os que nasceram de novo" em sua congregação, porém, tal afirmação é arrogante e altiva. Lutero tinha razão quando afirmou que ao chegar ao céu esperava se deparar com duas grandes surpresas: primeira, que não veria muitos dos quais ele estava seguro que estariam ali e, segunda, que encontraria muitos que nunca teria imaginado ver ali. É bom recordar também o que ele adicionou, que a maior de todas as maravilhas seria que o indigno Martinho Lutero estaria ali.

    O próprio fato de que a igreja invisível consiste exclusivamente de pessoas regeneradas, se deduz que este aspecto da igreja é certamente glorioso. Cada um dos membros dela foi "tirado da potestade das trevas, e transportado para o reino do seu Filho amado" (Colossenses 1:13). De todos seus membros pode-se dizer que "eram trevas, mas agora sois luz no Senhor" (Efésios 5:8). "Como pedras vivas", eles são "edificados como casa espiritual e sacerdócio santo..." (1 Pedro 2:5). Eles são lavados, são santificados, são justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito de Deus (1 Coríntios 6:11). Juntos constituem o corpo de Cristo (Colossenses 1:18). Certamente, eles não alcançaram a perfeição; contudo, eles têm agora a vitória sobre o pecado e o diabo através de Jesus Cristo, seu Senhor. Nele [Cristo] eles são perfeitos.

    RB KUIPER

    Ruth Rossini

    ReplyDelete
    Replies
    1. Estimada irmã Ruth Rossini

      Obrigado por interagir com o meu post.

      Para um verdadeiro crente, isto é alguém que entendeu e creu no puro Evangelho, é nascido de novo (espiritualmente), ao qual é impossível retroceder e vir a estar novamente morto espiritualmente e perder a salvação, para este a verdadeira Igreja de Jesus Cristo e uma fiel congregação desta gloriosa Igreja exerce a atração de um "poderoso ímã". Se porventura a igreja ou congregação local deste verdadeiro crente se torna uma falsa igreja (uma "sinagoga de Satanás"), depois de haver ele tentado impedir que isso acontecesse, se isto lhe foi possível, ele (o verdadeiro crente) se sentirá repelido e deixará a igreja apóstata, como tem acontecido nestes últimos cinco séculos com uma incontável multidão de Católicos Romanos, que entendendo o Evangelho deixam o romanismo e se unem a uma igreja reformada. O mesmo vem acontecendo com alguns evangélicos que somente conheciam o "Cristo curandeiro" do neo-pentecostalismo, e que ouvindo o Evangelho do glorioso Cristo das Escrituras, se sentem como "peixe fora da água" em suas congregações neo-pentecostais.

      Porém, o verdadeiro crente, assim como é repelido pela falsa igreja, é atraído pela verdadeira; consequentemente ele anela por uma fiel congregação da verdadeira igreja de Jesus Cristo; afinal o batismo com o Espírito Santo que é simbolizado no batismo com água (Tito 3.4-7) é também um batismo em um corpo (1 Coríntios 12.12-27), que é a Igreja.

      O verdadeiro crente fora de uma verdadeira congregação da Igreja de Cristo, é como um "peixe fora da água", ele precisa dela, é atraído por ela, e procura por ela.

      A figura do galho fora do ramo que apodrece e morre, não significa o verdadeiro crente, mas o crente nominal, que é membro de uma igreja, mas não entendeu e creu no Evangelho de Cristo Jesus.

      Em Cristo Jesus,

      Jorge

      Delete